segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Tablatura

A Tablatura é uma forma simples de se escrever música para instrumentos de cordas como o violão. Ela é constituída por 6 linhas horizontais e também pode ser dividida em compassos.
Cada linha representa uma corda do instrumento e são contadas de cima para baixo. As notas são representadas por números que, por sua vez, indicam a casa onde a corda deve ser apertada. 

 Os sons escritos em seqüência (melodia) devem ser tocados um após o outro e os sons escritos verticalmente (harmonia) devem ser tocados simultaneamente

domingo, 27 de novembro de 2011

Escala Menor para Bandolim



Observe o seguinte: Os modelos apresentados acima são móveis, ou seja, podem ser digitados a partir de qualquer casa desde que se observe a localização da nota que dá nome à escala (Tônica).

Exemplos: Para tocar no tom de Sol menor, pode-se utilizar o modelo 1começando com a quarta corda solta.
                Para tocar no tom de Lá menor, pode-se utilizar o modelo começando com a quarta corda apertada na segunda casa.

Escala Maior para Bandolim



Observe o seguinte: Os modelos apresentados acima são móveis, ou seja, podem ser digitados a partir de qualquer casa desde que se observe a localização da nota que dá nome à escala (Tônica).

Exemplos: Para tocar no tom de Sol maior, pode-se utilizar o modelo 1começando com a quarta corda solta.
                Para tocar no tom de Lá maior, pode-se utilizar o modelo começando com a quarta corda apertada na segunda casa.

Escala Blues para Bandolim



Observe o seguinte: Os modelos apresentados acima são móveis, ou seja, podem ser digitados a partir de qualquer casa desde que se observe a localização da nota que dá nome à escala (Tônica).

Exemplos: Para tocar no tom de Sol maior, pode-se utilizar o modelo 1começando com a quarta corda solta.
                Para tocar no tom de Lá maior, pode-se utilizar o modelo começando com a quarta corda apertada na segunda casa.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Escala Pentatônica para Bandolim


Observe o seguinte: Os modelos apresentados acima são móveis, ou seja, podem ser digitados a partir de qualquer casa desde que se observe a localização da nota que dá nome à escala (Tônica).

Exemplos: Para tocar no tom de Sol maior, pode-se utilizar o modelo 1começando com a quarta corda solta.
                Para tocar no tom de Lá maior, pode-se utilizar o modelo começando com a quarta corda apertada na segunda casa.
                Para tocar em um tom menor basta prestar atenção na localização da tônica menor. Assim, o primeiro modelo serve tanto para Sol maior quanto para Mi menor.
                Qualquer dúvida deixe seu comentário.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Bandolim em diversos contextos


O Rappa - Eu quero ver gol




Engenheiros do Hawaii & Carlos Maltz - Depois de nós







Cássia Eller & Nando Reis - Relicário






Armandinho - Assanhado


domingo, 13 de novembro de 2011

O que são cifras?


Cifra é a representação de uma nota por meio de uma letra maiúscula correspondente. Para as notas naturais, temos as seguintes relações:
                  
                   A= lá
                   B= si
                   C= dó
D= ré
E= mi
F= fá
G= sol

Para representar os acidentes, usamos os sinais de # (sustenido) e b bemol. Exemplos:    A# = lá sustenido
                                        Bb = si bemol

Conversões:

Dó - Dó# - Ré - Ré# - Mi - Fá - Fá# - Sol - Sol# - Lá - Lá# - Si - Dó.
C  -   C#  -  D  -  D#  - E  - F  - F#  -  G  -   G# -   A -  A#  - B  -  C

- Réb - Ré - Mib - Mi - Fá - Solb - Sol - Láb - Lá - Sib - Si - Dó.
C   - Db  -  D  - Eb   -  E  - F   - G-  G   - Ab  -  A -  Bb -  B - C


No entanto, quando procuramos por músicas cifradas, acabamos encontrando arquivos deste tipo:
    

 Meu erro
                         (Paralamas do Sucesso)

Tom :A
Intro: (A E D) Dm
A                               C#m
Eu quis dizer você não quis escutar
 D                               Dm
Agora não peça não me faça promessas
        A                     C#m
Eu não quero dizer nem quero acreditar
         D                 Dm
Que vai ser diferente que tudo mudou

Entretanto, na representação acima, as cifras se referem aos acordes e não simplesmente às notas. Os acordes, diferentemente das notas, são maiores ou menores. Para diferenciá-los basta que se acrescente um “m” minúsculo ao lado da letra que representa um acorde menor. Exemplos:

A = lá maior
E  = mi maior
D = ré maior
Dm = ré menor
C#m = dó sustenido menor

                                

 Mas você sabe a diferença entre notas e acordes ?

O que são tons e semitons?


O semitom, ou meio tom, é a menor distância que temos entre duas notas no nosso sistema de afinação. Um tom nada mais é do que a soma de dois semitons. Exemplos.

Dó - Dó# - Ré - Ré# - Mi - Fá - Fá# - Sol - Sol# - Lá - Lá# - Si - Dó.




½ tom   ½ t.  ½ t.   ½ t.  etc.

Dó - Dó# - Ré - Ré# - Mi - Fá - Fá# - Sol - Sol# - Lá - Lá# - Si - Dó.




    1 tom           1 tom  etc.

Observe que o braço do violão é dividido em semitons.





sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Para que serve o sustenido, o bemol e o bequadro?


                                     sustenido            bemol            bequadro
# + f + n

        Os sustenidos e os bemóis são alterações das notas naturais. O sustenido faz com que a nota fique um semitom mais aguda. O bemol torna a nota um semitom mais grave.  Exemplo:
                        Esquerda = Grave                                Direita = Agudo

A Função do Bequadro é diferente: Ele anula o acidente colocado na nota. Dessa maneira, o Ab e o A#  passariam a ser simplesmente A.


terça-feira, 8 de novembro de 2011

Tudo bem... vamos do início. As Notas musicais!


Acho que quase todo mundo conhece as "sete" notas musicais: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si. O que algumas pessoas não sabem é que existem notas acidentadas, ou seja, carregam consigo um "#" (sustenido) ou um "b" (bemol). Para exemplificar, vou utilizar a Escala Cromática, ou seja, com todas as notas.

Dó - Dó# - Ré - Ré# - Mi - Fá - Fá# - Sol - Sol# - Lá - Lá# - Si - Dó.
                                              
                                               OU   

 Dó - b - Ré - Mib - Mi - Fá - Solb - Sol - b - Lá - Sib - Si - Dó.

Note que existem dois casos em que o acidente não foi colocado. São eles: o intervalo entre a nota Mi e a nota Fá, e o intervalo entra as notas Si e Dó. Nestes casos ocorre o que chamamos de Enarmonia,  que nada mais é do que, duas notas com nomes diferentes, que na pratica produzem o mesmo som e que ficam, com raras exceções, localizadas nas mesmas teclas ou posições nos intrumentos.     

Exemplo:
Si# e   produzem o mesmo som.
Si e b     produzem o mesmo som.
Mi# e  produzem o mesmo som.
b  e Mi  produzem o mesmo som.

Este “fenômeno”  também ocorre com as notas acidentadas localizadas entre as mesmas notas naturais. Exemplo:   Dó - Dó# - Ré  = Dó - b - Ré. Assim sendo, Dó# e Réb  produzem o mesmo som.

Portanto, diferente do que se podia imaginar, ao invés de 7 notas temos 12, sendo que algumas podem ser chamadas de duas formas.